Ocorreu um erro neste gadget

Pages

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Um gostinho de Londres

British Music Experience – um museu que vale a pena! Depois de um bom sumiço, retorno com algumas novidades! Estive recentemente em uma das minhas cidades favoritas no mundo: Londres. Pra mim, os únicos problemas ali são: o valor da libra em relação ao real e a cor cinza que insiste em permanecer no céu, sobretudo durante o inverno. Mas, como pra turista não tem tempo feio, lá fui eu em busca de diversão. E acabei descobrindo um dos museus mais interessantes que já fui nos últimos tempos. Se chama BME (British Music Experience) e vou explicar pra vocês como funciona esta maravilha que foi aberta no ano passado. A ida ao BME não é apenas um passeio a um museu e sim a um complexo de entretenimento chamado O2. Lá, foi construído um espaço para shows chamado O2 Arena com capacidade para mais de vinte mil pessoas. Os primeiros shows da turnê de Michael Jackson, estavam programados para acontecer ali. Coldplay já se apresentou na O2 e também vão tocar Lady Gaga, Rihana, Black Eye Peas, etc. Fica a meia hora de metrô do centro da cidade, mas especificamente na Greenwich Peninsula. Mas o diferencial do O2 é que, além de um lugar pra shows, foi construído um centro de lazer. São cerca de trinta restaurantes e bares em volta da arena, um cinema gigantesco com mais de vinte salas e um museu da música: o British Music Experiece, que tem uma exposição permanente sobre pop music, com ênfase na música inglesa, mas abordando também os principais artistas internacionais. Dividido por décadas e extremamente tecnológico, no BME, você literalmente viaja no tempo através de 60 anos de música. Você escolhe, digamos, entre 1970 e 1980, e em cada ano, você vai poder ouvir e ver vídeos dos principais acontecimentos e depoimentos musicais. Por exemplo, do lançamento de Material Girl, de Madonna durante os anos 80 ao estouro de Amy Winehouse, há alguns anos. Tudo isso num painel com projeções de videos e músicas. Em cada sala há também a “mesa inteligente” (smart table), onde profissionais da área musical (produtores, artistas gráficos, executivos, etc) falam dos principais artistas, shows e lançamentos da época, contam como suas carreiras foram conduzidas, falam das capas de discos históricas e da participação e visão de cada um nesses projetos. Há também figurinos, acessórios e instrumentos de vários artistas expostos. Altamente tecnológico, o ingresso do BME ainda dá o direito ao visitante de captar informações sobre exposição que pode depois ser acessada depois através do site do museu. Quer mais? Então, preciso compartilhar com vocês a sorte que tive em aproveitar a visita e assistisr a exposição temporária do Michael Jackson que tinha acabado de ser prorrogada. Com vários videos do gênio pop, além de figurinos originais desde a época dos Jackson 5, a exposição conta ainda com contratos antigos e letras de música escrita pelo próprio punho do artista. Um gostinho nostálgico do show de MJ que nunca acabou acontecendo no próprio local do evento. O2 – lembre desse nome e não deixe de ir!