Ocorreu um erro neste gadget

Pages

sábado, 24 de abril de 2010

A notinha, por favor!

Sempre fui uma pessoa consumista. Desde criança, já adorava acompanhar minha mãe nas compras, nem que fossem as de supermercado. Fui crescendo, e como acontece com grande parte das mulheres, veio a paixão pelas roupas, bolsas, sapatos, cosméticos, bijouterias, enfim, uma gama bem variada de produtos. Ou seja, gosto de comprar tudo mesmo, não tenho preferências. Como morei fora do Brasil em mais de uma ocasião e viajo bastante, acredito ter conhecimento o suficiente para falar do sistema de compras em diferentes países e hemisférios. E é aí que quero chegar. Nos EUA, o paraíso do consumo, logo após efetuar e pagar sua compra, independente do tipo de loja que você esteja - farmácia, de roupas, de acessórios, de móveis, de brinquedos, de departamento, etc - vem a pergunta: “Do you want your receipt with you or in the bag”? (Você quer sua nota com você ou na sacola?). Ou seja, é instantâneo o ato do vendedor/caixa entregar a nota fiscal ao consumidor. E ela, muitas vezes vai ser útil e extremamente necessária; seja na saída de uma loja onde o alarme dispare e você precise comprovar que pagou pelo que está levando - algo muito comum por lá - ou seja na hora de você querer trocar o produto. Pra quem não sabe, os americanos trocam simplesmente TUDO, contanto que esteja em bom estado e que o consumidor apresente a nota fiscal. Em muitos casos, o dinheiro é até devolvido e em 99% os vendedores não hesitam em efetuar a troca e são muito solícitos. Além disso, apesar dos vendedores americanos não ficarem grudados em você como no Brasil e fazendo aquelas perguntas idiotas e que não aguentamos mais ouvir, do tipo: “é pra uma ocasião especial?” no geral, eles são bem simpáticos. Na França, Espanha, Itália e Inglaterra, o sistema não é muito diferente, a não ser em relação ao atendimento, já que os europeus não são tão gentis quanto os americanos e não foram eles que inventaram a máxima de que “o cliente tem sempre razão”. O europeu é mais rígido (passou por guerras) e não há a cultura da gorjeta (em bares, restaurantes e serviços em geral) como nos EUA. Portanto, como o hábito acaba chegando também ao comércio, eles não se esforçam muito para agradar. Estou falando de uma maneira geral, é claro! Entretanto, em qualquer loja que você entre na Europa e faça uma compra, a nota fiscal também é entregue no ato. Já em relação a trocas, varia um pouco de país para país e de loja para loja. Posso dizer que é mais simples do que no Brasil (onde, muitas vezes, a vendedora faz uma cara suspeita como se você tivesse armando algo para cima dela) porém, não tão fácil quanto nos EUA. Agora, desabafo com vocês minha indignação. Porque no Brasil é tão difícil receber uma nota fiscal??? Sempre reparei nisso e costumo pedir a minha, seja em lojas ou restaurantes. Mas muitas vezes estou com pressa (sim, é preciso paciência para receber uma) ou até mesmo esqueço. Só, que, recentemente, com a campanha Cumpom mania - que aliás, é tão difícil de participar que não conheço mais ninguém que tenha a paciência que eu tenho pra isso - resolvi pedir a nota em todos os estabelecimentos em que compro algo. As reações das vendedoras/caixas, chegam a ser hilárias! Primeiro, vem a pergunta (no caso de shopping): “É pro estacionamento?” ou “É pro cartão (do shopping)?” No que me dá vontade de responder: “não, é para mim mesma, pelo simples fato de ser um direito meu, oras!”. Depois, começam “só um minutinho”.... E lá vai a caixa para o computador digitar vários itens, enrola daqui, enrola de lá, até, finalmente a nota sair. Isso, quando não inventam uma desculpa de que a nota não pode sair e pedem com a maior cara-de-pau para você volta no dia seguinte. Já me aconteceu mais de uma vez. Meu Deus, qual é a dificuldade em entregar a nota fiscal ao consumidor? Tirando pouquíssimas lojas que são excessão, (duas espanhoals, por sinal), quase NENHUMA no Rio de Janeiro dá nota fiscal voluntariamente ao consumidor. É vergonhoso! Acabamos cúmplices da sonegação fiscal deles porque nos habituamos a não exigir a nota. Como mesmo na hora de efetuar uma troca, os vendedores não pedem a nota, esquecemos da importância dela. Pois acho que todos deveríamos exigir a nota fiscal e mudar nossa cultura. Com ou sem promoção, a nota fiscal é direito de quem consome. Em qualquer país do mundo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário