Ocorreu um erro neste gadget

Pages

quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

Miami no Natal

Desde quando morei no EUA, na adolescência, passei a ser uma observadora assídua das diferenças dos costumes brasileiros e americanos. Mais de vinte anos se passaram e continuo comentando as diversidades entre os dois países em termos culturais e sociais. Como estou passando as festas de fim de ano em Miami, não posso deixar de registrar aqui minha humilde visão sobre esses dois mundos. Aterrisei na Flórida no dia 24 de Dezembro. Como sabemos, Papai Noel nasceu no Pólo Norte, por isso, ele combina mais com países em que há inverno de verdade do que com um país tropical como o nosso. (Aliás, os americanos e europeus até hoje acham muito estranho que nosso Natal caia durante o verão). Tudo bem que em Miami não faz frio, mas vamos combinar que o resto do país inteiro está um gelo, ao contrário do Brasil que está derretendo todo nesta época do ano. Mesmo assim, decoramos todos os prédios e ruas com luzinhas, montamos nossas árvores e muitas vezes as deixamos na janela para todos verem. Há vários Papais Noéis escalando edifícios comerciais e residenciais. Enfim, no Brasil, respira-se Natal e seus adornos durante todo o mês de Dezembro e fingimos que ele está aguentando usar aquela roupa quentíssima e que cai neve em algumas de nossas árvores. Eis que chego em Miami e não vejo uma decoraçãozinha de Natal se quer. Nada no aeroporto, nada no caminho de South Beach. Ruas apagadas, prédios tristes e opacos. Papai Noel que é bom, nada! Chego `a conclusão de que a decoração natalina deve se resumir aos shopping centers e na minha primeira ida a um deles, ao esbarrar com uma árvore de Natal gigantesca, minha suposição é confirmada. Nada parecido com NY e suas vitrines incríveis nessa época do ano e mesmo num centro comercial, não vejo Santa acenando e tirando fotos com as criancinhas como no Brasil. Como a ideia era justamente fugir do Natal tradicional, eu e meu marido fizemos reserva num restaurante para a noite de 24. Ainda achei que não seria uma tarefa fácil, levando em conta que vários estabelecimentos poderiam estar fechados. Ledo engano. Nosso restaurante estava simplesmente a-b-a-r-r-o-t-a-d-o!!! Assim como vários outros nas redondezas de Miami Beach. Tudo bem que éramos uns dos poucos casais jantando a sós, a maioria das mesas era de famílias inteiras, mas ficamos surpresos com tanta gente jantando fora, numa noite que no Brasil, a maioria esmagadora das famílias está em casa, celebrando, comendo perú, panetone e rabanada e trocando presentes. Prova disso, foi o comentário de uma amiga, frequentadora assídua do Jobi, que disse estar deprimida com o baixo Leblon `as moscas na noite de Natal, tudo fechado, parecendo um outro lugar. (É compreensível: os garçons e outros profissionais tem direito a passar no Natal em casa, certo?) Minha mãe, que é historiadora e especialista no Rio de Janeiro do começo do século, (e como eu, observadora de costumes), sempre diz que a refeição principal do brasileiro é o almoço e do americano, é o jantar. Realmente, o americano médio não tem o costume de almoçar no dia-a-dia, completamente diferente do europeu, por exemplo, que passa horas na mesa, mesmo durante a semana. Quando se anda pelas ruas de NY, quantas pessoas não vemos andando e comendo um sanduíche ao mesmo tempo. Eles, definitivamente, não ligam para sentar `a mesa e comer “de garfo e faca” no meio do expediente. Mesmo assim, pensei, já que não estão ceiando na noite de 24, devem estar em família no almoço de 25. Outro equívoco. Eis que os restaurantes continuavam abertos em sua maioria - outra diferença brutal em relação ao Brasil. E não só os restaurantes, os cinemas por aqui, também estavam lotados!! Na primeira sessão, `as 14hs, a fila dava uma volta no quarteirão!! Não é curioso? (Aliás, dia 25/12 é uma tradicional data para estréias de blockbusters por aqui). Algumas lojas também estavam abertas e com bastante movimento. O capitalismo americano não perdoa nem o feriado de Natal! Chego `a conclusão que só tem uma data em que os americanos se reúnem em volta da mesa com a família para celebrar e comer perú: é o Thanksgiving, no final de Novembro, um feriado em que americanos e canadenses dão as graças pelos bons acontecimentos ocorridos durante o ano. Feriado este, que reúne todas as religiões e que pra eles é importantíssimo! Aguardem para saber minhas impressões do ano novo na “América”. E desde já, os desejo um feliz 2010!

3 comentários:

  1. um dia ainda passo o natal em nova york, com direito a todas as luzes e as vitrines - esse de miami me pareceu meio triste, como diria sua mãe...
    bjs, happy new year!

    ResponderExcluir
  2. Precisamos mandar o Narciso e Manuel para fazerem um estagio nos restaurantes de Miami para aprenderem a tratar melhor seus clientes.

    ResponderExcluir
  3. Com certeza, o de NY é mais animado e charmoso!!!

    Hahahhaha, só vc, Dani....

    bjssssssss, Happy New Year!!!

    ResponderExcluir